Vapor de Nada.

Preciso tirar tanta coisa de dentro de mim, mas não encontro as palavras certas.
Eu, aliás, em momento algum encontro as palavras certas. Nunca encontrei, e a impressão que tenho é de que isso nunca vai acontecer.

Existe um monte de coisa que eu gostaria de falar pra algumas pessoas, mas me faltam as palavras. Me faltam gestos, me falta coragem. Sempre tive muito medo de me expressar, e sempre que o fiz, foi da maneira errada, com as letras erradas, com os movimentos e motivos errados.
Sempre foi muito difícil. Não sei se é vergonha dos meus sentimentos, se é insegurança, se é besteira da minha cabeça.
Às vezes sinto que estou esperando por alguma coisa, algum sinal. E espero, espero, espero, espero sem vontade de esperar, mas espero, e continuo esperando sem nem saber exatamente o quê ou por quê. Eu nem sei se realmente espero, ou se só tenho a ilusão de que o faço.

E ontem pensei nisso enquanto eu tomava banho, e toda aquela água, todo aquele vapor e toda aquela melodia que saía das caixas de som me fizeram chorar. Chorei por mim, por você, pelos meus dedos que estavam ficando enrugados. Chorei de medo, de sono, de cansaço, de frio, de dor. Chorei pela decepção de esperar que aquela água quente lavasse e tirasse tudo o que eu tinha dentro de mim. Chorei por lembrar da visão da janela do avião, que envolvia a lua, as nuvens e milhões de estrelas, e chorei também por não conseguir descrever a beleza que eu via naquilo.
Mas principalmente, chorei por não saber exata e claramente o porquê.

E nada, nada de tudo o que eu guardo conseguiu sair.

Um comentário:

DHDOTUR disse...

me identifiquei com o texto

acho que a maioria das pessoas se sentem assim por pelos menos alguns anos de vida

Postar um comentário

Twitter

Seguidores

Visitantes

free counters
 

Tonksbond Blog | Layout por @vtkosq